Dia 11: O Paraíso (Consagração a Nossa Senhora)



“Ó mansão beatíssima da celestial cidade! Ó dia claríssimo da eternidade, que a noite não obscurece, mas a Verdade Soberana sempre ilumina; dia sempre festivo, sempre seguro, que nunca muda no contrário”! (Imitação de Cristo, Liv 3 Cap XLVIII).

Eis o que está preparado para nós. É neste maravilhoso lugar que Deus quer nos ver, ao Seu lado, gozando da felicidade eterna. Como podemos trocar tudo isso por pequenos momentos de prazer terreno? Quão insensato somos ao buscar os gozos perecíveis, que nos viciam e depois não nos satisfazem mais!

É para gozarmos dessa eterna felicidade que Nosso Senhor nos diz: “Vendei seus bens e dai esmolas. Fazei bolsas que não envelheçam, um tesouro inesgotável no céu, onde os ladrões não chegam nem a traça os rói” (Lc 12,33). É para termos vista nas coisas do céu e desprezarmos as da terra que passamos pelas tribulações. Os sofrimentos mundanos nada mais são do que Nosso Senhor nos apontando que estamos pondo nosso coração no lugar errado (cf Lc 12,34).

Exclama Tomás de Kempis em Imitação de Cristo: “Bem-aventurado o homem que por amor de vós, Senhor, abre mão de todas as criaturas, faz violência à natureza e crucifica a concupiscência da carne com o fervor do espírito, para, de consciência serena, oferecer-vos uma oração pura e, desprendido interior e exteriormente de tudo que é terreno, merecer entrar no coro dos anjos”.

“Felizes os servos que o dono, ao chegar, encontrar vigiando. [...] E se chegar ao segundo ou terceiro turno de vigília e o encontrar assim, felizes deles” (Lc 12,37-38). Maria estará conosco nesta vigília, basta querermos estar do lado dela. Quando nos consagramos entregamos tudo a Maria e ela, como uma “caderneta de poupança celeste”, conserva tudo. Entregando tudo a Maria ela colocará nosso tesouro no céu e elevará nosso coração. E quanto mais perecermos para o mundo e quanto mais Nosso Senhor demorar para nos pegar de surpresa, mais tesouros estaremos acumulando, se nos mantivermos firmes no propósito da consagração.

Nada que passamos por amor a Cristo e a Nossa Senhora será em vão. “Por um pequeno desejo que agora sacrificas, tua vontade será sempre satisfeita no céu onde acharás tudo que quiseres, tudo o que podes desejar. Ali possuirás todo o bem, sem medo de o perder. Ali tua vontade, sempre única com a [de Cristo], nada desejará fora [de Cristo], nada que te seja próprio. Ali ninguém te fará oposição ou de ti se queixará, ninguém te causará estorvo ou contrariedades; antes, tudo quanto desejares já estará presente, para preencher e satisfazer plenamente todos os teus desejos. Ali [Jesus te dará] a glória pela injúria padecida, uma túnica de honra pela tristeza, e, pela escolha do ínfimo lugar, um trono em [seu] reino para sempre. Ali brilhará o fruto da obediência, alegrar-se-á a austera penitência e será gloriosamente coroada a sujeição humilde” (Imitação de Cristo, Liv 3 Cap XLIX).

Peçamos a Deus a graça e a interseção da Santíssima Virgem para que recolhamos nossos sentidos, nossas paixões, que desprezemos e esqueçamos todas as coisas mundanas e nos protejamos do espírito do mundo, que nos preservemos de imaginar e realizar atos pecaminosos e ofensivos a Deus. Desta forma estaremos subindo os degraus de nossa salvação, estaremos pegando o elevador para o Paraíso Celeste.





Comentários