Dia 21: Glórias de Maria (Consagração a Nossa Senhora)



”Toda a glória de Maria lhe advém de sua predestinação para Mãe de Deus. Por isso, tanto vizinhou da Santíssima Trindade, por isso, foi plena da graça. Tão plena que desde a sua conceição foi Imaculada. Tão Imaculada que vivendo só para Deus, seu corpo não teve jamais nenhuma quebra da inefável virgindade com que foi Mãe de Deus. Nem conheceu a corrupção do túmulo, após sua bendita morte” (D. Antônio Maria Alves de Siqueira, Consagração a Nossa Senhora).

O próprio Deus exaltou a virgem ao grau de Santíssima Virgem. Para nós, pode parecer estranho que nos evangelhos não se exalte tanto a Santa Mãe de Deus como outros personagens. Mas, vejamos que os evangelhos nos trazem luz às obviedades para a nossa Salvação, ficando para a Igreja a missão de propagar as verdades e esclarecimentos. “‘Dela nasceu Jesus’. Basta-nos isso. Com tais palavras dizem tudo, resumem-lhe todas as excelências, sendo, por isso, desnecessário que fossem descrevendo uma a uma” (Santo Afonso de Ligório, Glórias de Maria).

“Se fazendo Filho da Virgem, Deus a colocou numa altura superior a todos os santos e anjos. Exceto Deus, ela é sem comparação mais elevada do que todos os seres celestes. [...] Dai-lhe o nome que quiserdes, de Rainha do céu, de Senhora dos anjos, ou qualquer outro título de honra, jamais chegará a honrá-la tanto, como chamando-a de Mãe de Deus. [...] Santo Tomas ensina o seguinte: Quanto mais uma coisa se avizinha ao seu princípio, tanto mais recebe da sua perfeição. Ora, sendo Maria a criatura mais vizinha de Deus, do mesmo Deus que ela participou mais graça, perfeição e grandeza, que todas as outras criaturas, daqui se deduz o padre Suarez a razão por que a dignidade de Mãe de Deus é de ordem superior a toda outra dignidade criada” (Glórias de Maria).

O justíssimo e honradíssimo São José não podendo compreender o que se passava, sabia que Maria seria incapaz de cometer qualquer transgressão à lei e por isso decidiu repudiá-la privadamente (cf Mt 1,19), sendo que tal ato não seria o estrito cumprimento da Lei que mandava repudiar a mulher publicamente, o que provavelmente faria que Maria fosse apedrejada.

Quem protege a Mãe é consolado, como podemos ver com a aparição do anjo a José acalmando seu coração (cf Mt 1,20) e dando uma missão ainda maior: acolher a Mãe de Deus, a mulher que é Esposa de Deus Espírito Santo e que é Mãe de Deus Filho, o Salvador. Quem acolhe a Mãe de Deus é elevado pelo próprio Deus. São José foi elevado a pai adotivo de Jesus e isso por causa de Maria que é tudo que é por causa de Jesus.

Fica claro: São José, elevado em sua dignidade por intermédio de Maria que tem toda a sua glória por causa de Nosso Senhor Jesus Cristo. O que fazemos quando nos consagramos à Nossa Senhora? Estamos abrindo os nossos corações para Nossa Senhora fazer morada nele e para isso estamos, nestes exercícios, preparando nossa alma, nosso coração, para a chegada da Santíssima Virgem Mãe de Deus e Nossa Senhora.

“Maria é Rainha do céu e da terra pela graça, assim como Jesus é rei por natureza e por conquista: ora, como o reino de Jesus Cristo consiste principalmente no coração e no interior do homem, segundo esta palavra: o reino de Deus está dentro de vós, assim também o reino da Santíssima Virgem está principalmente no interior do homem, isto é, em sua alma, e é nas almas principalmente que ela é mais glorificada com seu Filho do que em todas as criaturas visíveis, de modo que podemos chama-la, com os santos, Rainha dos corações.” (São Luís Montfort, Tratado da Verdadeira Devoção).







Comentários