Dia 22: Maria e Nós Seus Filhos (Consagração a Nossa Senhora)



”Ó Maria, o Senhor determinou entregar nas vossas mãos todos os bens que aos homens quer dar, e por isso vos confiou riquezas e tesouros de sua graça” (Santo Ildefonso).

Deus age no mundo usando suas criaturas, não por necessidade, mas por sua imensa bondade e sabedoria. Sabe nós somos incapazes de compreender as coisas celestes e estamos muito envolvidos com o mundo que traz tantas tentações.

No Jardim do Éden, nos perdemos. Deus quis nos reparar fazendo o mesmo percurso da perdição, só que no sentido inverso. “Na tentação e na queda, há um Anjo de trevas, uma mulher que acredita na sedução, um homem que desobedece a Deus e perde o gênero humano. Na Reparação, há um Anjo na Anunciação, uma mulher que crê na palavra do mensageiro celeste, um Homem que obedece até a morte de cruz e salva todos os homens” (D. Antônio Maria Alves de Siqueira).

A obra máxima da Redenção começou com a Encarnação e o consentimento de Maria. Passou pelas mãos de Nossa Senhora e, assim, é de se esperar que todo o processo de Salvação também passe pelas mãos dela. Por isso a grande exaltação de Santa Isabel quando viu a Santíssima Virgem:

“Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre. Quem sou eu para que me visite a mãe do meu Senhor? Vê: Quando tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criatura deu um salto de alegria em meu ventre. Feliz é tu que creste, porque se cumprirá o que o Senhor te anunciou” (Lc 1, 42-45).

A exaltação de Maria está no fato dela ser a Mãe do Senhor, a Mãe do Cristo. E isto traz uma alegria imensa, desde o ventre, as criaturas quando entram em contato com a mãe. Maria é Mãe de Jesus Cristo Homem e também de Cristo Místico, cuja cabeça é Jesus e o corpo é gerado na história.

Ora, se o ápice da graça passou pelas mãos da Virgem Imaculada, é razoável pensar que todas as demais graças também passam por suas mãos virginais. Se o Homem gerou no sagrado ventre de Maria, é natural que se creia também que os homens sejam transformados, formando o cristo, através do seio de Maria.

“Lê-se no profeta Isaías (11,1) que da raiz de Jessé sairia uma haste, isto é, Maria, e dela uma flor, isto é, o Verbo Encarnado. Sobre esta passagem tece Conrado de Saxônia este belo comentário: ‘Todo aquele que desejar obter a graça do Espírito Santo, busque a flor em sua haste, isto é, Jesus em Maria’. Pois pela haste encontramos a flor e pela flor chegaremos a Deus. Se queres possuir a flor, procura com orações inclinar a teu favor a vara da flor e alcança-la-ás” (Santo Afonso de Ligório, Glórias de Maria).

É isso que perseguimos constantemente quando nos tornamos consagrados. Perdidos, mas determinados a nos reencontrarmos, buscamos fugir das tentações, do anjo de trevas, procurando em Maria o nosso Salvador, o Nosso Senhor.





Comentários

Postar um comentário