Dia 6: As Máximas de Jesus Cristo (Consagração a Nossa Senhora)



“Ao discípulo basta-lhe ser como seu mestre, e ao servo como seu senhor” (Mt 10,25).

Estamos no mundo para Cristo e somente para Ele. Fomos criados para Ele e para nada mais. Se você crê em Deus, ou seja, se você acredita que há um “Criador do céu e da terra e de todas as coisas visíveis e invisíveis”, você pertence a Ele, pois toda criatura pertence ao seu criador. Certo é que com o pecado original nós nos afastamos de Deus, mas Ele em sua infinita misericórdia se encarnou para nos dar o exemplo e nos salvar e por conta disso ele nos alerta: “Sereis odiados de todos por minha causa” (Mt 10,22).

Seguir e imitar Jesus significa participar com ele da história de salvação do homem. É preciso darmos o nosso testemunho para convertermos as almas que ainda estão perdidas. Assim, é preciso nos despojarmos de tudo por Cristo, sofrer por Cristo, amar por Cristo e espalharmos Sua mensagem aos quatro cantos do mundo, pois Ele nos envia.

Não é uma trilha fácil, e Nosso Senhor nos alerta: “Vede, eu vos envio como ovelhas entre lobos: sede prudentes como serpentes e cândidos como pombas” (Mt 10,16). Ou seja, fomos enviados ao mundo totalmente indefesos e precisamos da graça divina para nos tornarmos forte e o caminho é a prudência e a retidão e todas as adversidades, aflições, contrariedades, injustiças servem para manter estes propósitos.

As aflições e contrariedade nos fazem refletir sobre nossa vida peregrina na terra, sobre não devermos nos apegar a coisa alguma do mundo. As injustiças nos conduzem à humildade e nos preserva da vanglória (cf. Imitação de Cristo, Liv 1, Cap XII). Só devemos nos apegar e temer a uma coisa: a Deus! “Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode acabar com corpo e alma no fogo” (Mt 10,28).

Jesus Cristo nos prometeu que quem o seguisse e se mantivesse firme na fé, Ele viria nos auxiliar no combate contra o mundo. Ele faz isso comunicando-nos com graças que nos fortalecerão no combate.

São Luís nos fala em uma de suas obras que: “Quando a Sabedoria se comunica com alguém, dá-lhe todos os dons do Espírito Santo e todas as virtudes em grau eminente: uma fé viva, uma esperança firme, uma caridade abrasada. Temperança equilibrada, consumada justiça, força invencível, bondade perfeita. Religião esclarecida, profunda humildade, doçura encantadora, obediência total, mortificação contínua, oração sublime”. Ou seja, quando a Sabedoria opera em nós, nos faz muito próximos de Maria. Reparou como todas as virtudes estão contidas em Nossa Senhora? E a consagração a Nossa Senhora consiste exatamente nisso!

Ele continua: “Como nada há mais ativo que a Sabedoria, (Sb 7,24), ela não deixa estagnar na tibieza e negligência os que gozam de sua amizade. Inflama-os, inspira-lhes grandes comedimentos para a glória de Deus e a salvação dos irmãos. Para experimentá-los e os tornar mais dignos dela, proporciona-lhes grandes combates, provocações e contradições, de toda parte, dos inimigos e dos próprios amigos e parentes”.





Comentários