A Confiança Inabalável de Maria



"No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem que se chamava José, da casa de Davi e o nome da virgem era Maria.
Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.
Perturbou-se ela com estas palavras e pôs-se a pensar no que significaria semelhante saudação.
O anjo disse-lhe: Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.
Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem?
Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus."
(Lc 1, 26-35)


Maria perturbou-se com as palavras do Anjo. O que seria de sua vida dali para frente? A pequena Virgem de Nazaré tinha planos, estava prometida a José. A doce Virgem também não se sentia digna de ser visitada por um anjo, quem dirás de ser Mãe de Deus!

Que elevação! Que responsabilidade! No seu coração não restava dúvidas quanto a fazer a vontade de deus, custe o que custar, mas, e os demais envolvidos? O que irão pensar de um fato tão extraordinário? Pensou a Virgem, que em nenhum momento colocou em xeque dizer sim ao anjo, mas que também se preocupa com o próximo.

Fatalmente José iria se ofender. Fatalmente seus pais iriam se de decepcionar. Obrigatoriamente as pessoas iriam ficar enternecidas com uma mulher tão pura, que desde os três anos de idade serve no templo, aparecer grávida. Se já seria um escândalo ficar grávida de José, a quem estava prometida, imagina ficar grávida de outra pessoa que não fosse o seu marido.

Sentimentos contraditórios agem em seu coração. A alegria de o Salvador do Mundo ter-se feito homem e a Salvação entrado no mundo. Em aparente contradição aperta o seu coração também tudo que poderia via a passar.

A Santíssima Virgem, então, para a noite em claro, pensando nisso tudo. Mas, Deus envia consolos e bons pensamentos a quem está disposto a fazer a sua vontade. Assim, Maria lembra das palavras de Sant’Ana, sua mãe, que seja o que for, Deus sempre estará com quem se abre aos seus desígnios (cf. Luís Erlin, 9 Meses com Maria). Ela recorda também as palavras do Arcanjo Gabriel dizendo que não precisaria temer, pois ela havia encontrado graça diante de deus, assim o Espírito Santo sempre estará guiando-a (cf. Lc 1,30;35).

Derrama-se então em seu coração uma confiança abundante, transbordante, uma confiança mais do que suficiente para que toda a humanidade confiasse eternamente em Deus, desde que estejam dispostas a receber a graça, a receber o Espírito Santo, e dizer “Sim” a Deus. A confiança abundante de Maria é suficiente para ser despejada por toda a humanidade em toda a eternidade e justamente por isso Maria consegue o que deseja diante de Deus.

Sua confiança em Deus é tão grande que toda a sua vontade está em conformidade com a vontade de Deus, podendo até, por assim dizer, afirmar que a vontade de Deus é a vontade de Maria e que a vontade de Maria é a vontade de Deus: “Maria nada deseja que Nosso Senhor já não tivesse desejado antes”.

Conformemos a nossa vontade com a vontade de Deus. Assim, nossa confiança se tornará inabalável, assim como é a de Nossa Senhora. Faça seu pedido com total confiança. Tenha a certeza que se for bom para você, ele será atendido. Caso não, isso deve servi-lhe para aumentar ainda mais sua confiança, pois diante de um pedido que iria te fazer mal, pois não sabes o que faz (cf Lc 26,34), e por isso Deus não atendeu, Ele em sua infinita misericórdia, impediu que lhe ocorresse algum mal ou, o que seria pior, que te fizesse perder o céu para sempre.







Comentários