Deus nos Ampara e do Mal Tira um Bem Maior


O Senhor é rei e se revestiu de majestade, ele se cingiu com um cinto de poder. A terra, que com firmeza ele estabeleceu, não será abalada. Desde toda a eternidade vosso trono é firme e vós, vós desde sempre existis.

Elevam os rios, Senhor, elevam os rios a sua voz, e fazem eclodir o fragor de suas ondas. Porém, mais poderoso que a voz das grandes águas, mais poderoso que os vagalhões do mar, mais poderoso é o Senhor nas alturas do céu.

Vossas promessas são sempre dignas de fé, e a vossa casa, Senhor, é santa na duração dos séculos.

(Salmos, 92)

O Senhor se impõe para que o bem prevaleça. De todo o mal que possa acontecer, e se acontece é porque Deus assim permite, pois Ele é o Senhor, é retirado um bem muito maior do que o mal pode fazer. E o mais fantástico e maravilhoso é que o Altíssimo tira do mal um bem muito maior respeitando fielmente a liberdade das pessoas e sempre chamando para praticar o Bem maior que é amá-Lo cada vez mais.

Quanto mais alguém ama verdadeiramente o Senhor e a Ele se entrega, mais o mal investe contra este fiel e é aí que Deus se mostra onipotente, onisciente e onipresente amparando o fiel que Nele confia e construiu o seu castelo na Rocha Firme e não em terreno de areia (cf. Mt 7, 24-27).

Quando o mal investe contra uma pessoa que tem firme propósito de ser fiel à Santíssima e Diviníssima Majestade, Deus envia anjos que conduzem o fiel ao fortalecimento. Não necessariamente o pequeno e humilde filho ficará livre dos sofrimentos e não cairá sobre si as consequências dos males contra ele investidos, pelo contrário, o mais comum é que esse fiel sofra bastante. Mas, de todo o mal que o circunda, fazendo uso dos instrumentos de Salvação (Palavra de Deus, Sacramentos, Igreja, ensinamento dos Santos, etc...) e acolhendo os socorros que Deus envia (anjos, pessoas que o auxilia, orações, etc...) o fiel sai da batalha muito mais fortalecido par as lutas contra os investimentos dos demônios, mais purificado dos seus pecados e com muito mais méritos em seu favor (tesouros no céu).

O demônio não suporta ver a santificação de outras pessoas, pois ele sabe que um Santo leva consigo para o céu milhares de outras almas. Por isso que os investimentos malignos se tornam muito mais intensos com o crescimento espiritual de cada um. O ódio e a inveja de Satanás são tão expressivos contra um santo que isso faz o maligno deixar de tentar outros para concentrar suas foças nos mais santos, livrando os menos santos de tentações que talvez os derrubassem.

Portanto, se os investimentos estão muito pesados e frequentes contra você, tenha certeza que Deus está agindo em seu favor. Esse seu sofrimento está contribuindo para que almas mais vulneráveis não sejam tentadas com tanta força e tanta frequência. Seu sofrimento está sendo usado por Deus como livramento do mal para muitas outras almas. Mas, seu sofrimento não está desamparado, Deus, como já dito, está te enviando muitos meios para que possas suportar e, ainda mais, crescer espiritualmente. Contudo, para usufruir desse amparo divino, é necessária à sua fidelidade a Deus, ou pelo menos o firme e verdadeiro propósito de ser fiel.

Sejamos fortes! Sejamos firmes! Finquemos nossas bases na Rocha e não na areia! Não cedamos aos investimentos do maligno! Se cedermos estaremos sendo coniventes com um mal imenso. Estaremos rejeitando as graças que Deus envia, estaremos impedindo que Deus aja para livrar outras almas e estaremos contribuindo para que Satanás “tire sarro” do Altíssimo.

Tudo isso nos ajuda a compreender o porquê do sofrimento, da penitência e mortificação ajudarem tanto o mundo. O porquê de Nossa Senhora insistir tanto em todas as suas aparições para que sejamos fieis rezando e fazendo penitência.

A Santíssima Virgem sofreu (e ainda chora). Todo seu sofrimento, todas as suas lágrimas, são indulgenciadas para as almas mais necessitadas. Todo seu sofrimento é transformado em amor. Suas lágrimas fertilizam o mundo. Imitemos Nossa Rainha e entreguemos nossos sofrimentos a Deus para eles serem férteis. Por que achas que Jesus, depois de ressuscitar e ver que Sua Mãe, depois de tudo que sofreu com Sua Paixão, ainda permitiu que Maria continuasse sofrendo aqui tanto de saudade do Filho quanto com as lembranças de tudo que Nosso Senhor passou?

Maria, livremente, aceitou permanecer mais um pouco aqui com os apóstolos. Livremente escolheu sofrer mais uns anos e ser a sustentação humana dos discípulos de Jesus que ainda estavam abalados, confusos e sem muita certeza. E Maria ainda permanece agindo da mesma forma hoje, só que agora gloriosa.

No passado, Maria se entregou livremente com sofrimento para fortalecer os discípulos e estes também se entregaram, imitando a Mãe do Céu, para confundir o mal e salvar almas. A exemplo de Maria e dos discípulos, nos entreguemos também! Deus, assim como amparou sua Mãe e seus discípulos, e continuou através dos séculos amparando, continua hoje nos amparando. Deus, usou sua Mãe e seus discípulos para amparar outros discípulos, transformando estes últimos em novos discípulos, gerando um ciclo virtuoso de amparo mútuo. E assim continua fazendo até hoje.

Quando o sofrimento bater à porta, amparemo-nos nos instrumentos que Deus nos deixou perenemente e também nos que nos envia particularmente. Inspiremo-nos na Santíssima Virgem e nos discípulos. Amparados e inspirados em Maria e nos Santos, nos entreguemos para também ampararmos e inspirarmos outros. Façamo-nos instrumentos de Deus!





Comentários